segunda-feira, 16 de julho de 2012

Márcia

Lembro-me bem de quando ouvi pela primeira vez Márcia. Estava em casa da minha irmã, ainda na casa antiga. Era um cd com poucas músicas, tinha vindo numa revista ou num jornal. E eu na sala fiquei a ouvir enquanto a minha irmã fazia qualquer coisa noutra divisão da casa. Como eram poucas músicas e ouvi muito tempo, estavam a repetir. Gostei muito. Pedi para levarmos para o carro. Mais tarde, por circunstâncias, voltámos a Márcia, a ouvir, a ver videoclips com pessoas que ela e eu conhecíamos e acabei no Domingo a ver o concerto com a minha irmã e o grupo de fãs nº1 da Márcia, os seus amigos. Foi mesmo bom o concerto. A música dela é tão leve. Tão bela. E embora o som não estivesse grande coisa, e a sua guitarra acústica tivesse dado o berro, lá esteve ela, nobre, a tocar pela primeira vez A Pele que Há em Mim na guitarra eléctrica. Foi um concerto muito descontraído, divertido, intimista.

Para quem perguntou no início "O que a Márcia dá?" ela decidiu responder ao oferecer tshirts ao público em jeito de brincadeira. Espero que o novo albúm saia depressa para voltar a ver um concerto dela. Porque Márcia dá muito mais do que tshirts.

1 comentário:

  1. que giro :) gostei muito de te ler e de nos ver aqui. beijos

    ResponderEliminar